sexta-feira, 27 de março de 2015



Plantão de Notícias

FAROL DE NEBLINA: segundo regra do CTB, deve ser utilizada apenas para neblina, chuva muito forte ou cerração, como complemento à luz de posição. Mais nada. A utilização do equipamento fora destas condições (na cidade ou rodovia para ampliar a visibilidade) atrapalha aos demais motoristas e pedestres, ainda que o condutor sempre ache que está ajudando a si próprio e aos demais. Além disso, é infração grave, com cinco pontos na CNH e multa de R$ 127,69.


FONTE: http://carros.uol.com.br/album/2015/02/27/saiba-como-e-quando-usar-as-diferentes-luzes-de-seu-carro.htm#fotoNav=2

Acesse www.delbras.net.br



quinta-feira, 26 de março de 2015

   
Plantão de Notícias

PISCA-ALERTA: segundo o CTB, a luz intermitente do veículo -- caracterizada pelas duas luzes indicadoras de mudança de direção (setas) piscando ao mesmo tempo -- deve ser utilizada somente para avisar de que o carro parou em caráter de emergência -- o veículo está imobilizado ou em situação de perigo, como em acostamentos ou em caso de pane no meio da via. Isso significa que utilizar o pisca-alerta por conta em rodovias para avisar aos motoristas de trás de que o trânsito parou é proibido, além de perigoso. Seu uso fora da condição padrão só deve ocorrer quando houver autorização -- em casos de comboios criados por fiscais de rodovias ou pistas, se solicitado. A utilização indevida é infração média, com 4 pontos na CNH e multa de R$ 85,13.

FONTE: http://carros.uol.com.br/album/2015/02/27/saiba-como-e-quando-usar-as-diferentes-luzes-de-seu-carro.htm#fotoNav=2

Acesse www.delbras.net.br


Plantão de Notícias

PISCA-ALERTA: segundo o CTB, a luz intermitente do veículo -- caracterizada pelas duas luzes indicadoras de mudança de direção (setas) piscando ao mesmo tempo -- deve ser utilizada somente para avisar de que o carro parou em caráter de emergência -- o veículo está imobilizado ou em situação de perigo, como em acostamentos ou em caso de pane no meio da via. Isso significa que utilizar o pisca-alerta por conta em rodovias para avisar aos motoristas de trás de que o trânsito parou é proibido, além de perigoso. Seu uso fora da condição padrão só deve ocorrer quando houver autorização -- em casos de comboios criados por fiscais de rodovias ou pistas, se solicitado. A utilização indevida é infração média, com 4 pontos na CNH e multa de R$ 85,13.


FONTE: http://carros.uol.com.br/album/2015/02/27/saiba-como-e-quando-usar-as-diferentes-luzes-de-seu-carro.htm#fotoNav=2

Acesse www.delbras.net.br

quarta-feira, 25 de março de 2015



Plantão de Notícias

LUZ DE MUDANÇA DE DIREÇÃO ou SETA: é obrigatória em manobras de ultrapassagens, mudança de faixa, conversão de vias e retorno. Não é obrigatória em casos de embarque/desembarque e carga/descarga (o CTB prevê o uso da luz de posição), embora o senso comum tenha popularizado seu uso. Caso não possa ser utilizada, o motorista deve sinalizar a manobra com o braço esquerdo, usando os gestos pré-estabelecidos pelo CTB. A utilização incorreta é determinada como infração grave, 5 pontos na carteira e multa R$ 127,69.

LUZ DE MUDANÇA DE DIREÇÃO ou SETA (retrovisores): muitos veículos já possuem extensores para as luzes de setas, que podem ser posicionados no retrovisor ou na própria carroceria do veículo (normalmente, sobre as caixas de rodas dianteiras). Eles servem como reforço para as luzes de mudança de direção, já que muitas vezes veículos posicionados no ponto cego, bem como pedestres, não conseguem ver as setas nas extremidades do carro.


FONTE: http://carros.uol.com.br/album/2015/02/27/saiba-como-e-quando-usar-as-diferentes-luzes-de-seu-carro.htm#fotoNav=2

Acesse www.delbras.net.br




quinta-feira, 19 de março de 2015



Plantão de Notícias

LUZ BAIXA: no caso de carros de passeio, precisa ser utilizada dentro de túneis com iluminação pública (mesmo de dia), ou sempre que se rodar a noite. Motos devem usá-la de dia e de noite, enquanto veículos de transporte coletivo, quando circularem em faixas exclusivas. Não usar nas formas indicadas, quando seria necessário, pode render multa de R$ 85,13 e quatro pontos na CNH -- trocar a luz baixa pelo farol de neblina é infração grave (cinco pontos e multa de R$ 127,69).

LUZ ALTA: permitida somente em vias não iluminadas, deve ser desligada imediatamente quando o motorista avistar outro carro no sentido contrário -- ou quando estiver atrás de outro automóvel no mesmo sentido. A multa em caso de desrespeito é de R$ 127,69 (grave, cinco pontos). O CTB permite que o motorista pisque o farol alto para indicar ultrapassagem ou existência de riscos na via -- abusar disso, porém, é infração média, com quatro pontos na carteira e multa de R$ 85,13. Carros de projeto mais avançado (com farol de xênon ou LED de fábrica) possuem regulagem que alterna a intensidade automaticamente de acordo com a necessidade da via ou sempre que cruza com/segue outro veículo. Permanecer com a luz alta em vias públicas bem iluminadas também é errado: três pontos e R$ 53,20 de multa.

LUZ PARA ILUMINAÇÃO LATERAL: também chamada de luz de curva por alguns fabricantes, está presente em alguns modelos mais novos (geralmente de projeto europeu, usando um dos faróis de neblina ou um dos lados do LED) e se liga automaticamente seguindo o lado para o qual o motorista esterça virou o volante. Serve para melhorar a visibilidade do condutor e de alerta a pedestres.

LUZ DE FREIO (traseira): a luz de freio é bem mais forte que a luz de posição da lanterna, justamente para que outros motoristas possam notar que o carro à frente está freando, mesmo em dias ensolarados ou de forte luminosidade. Desde janeiro de 2009, a terceira luz de freio (o "breaklight") se tornou obrigatória no Brasil, fazendo a mesma função que as luzes das lanternas. Se estiver queimada, assim como as luzes frontais, o motorista está sujeito a multa média (quatro pontos na CNH e R$ 85,13).


FONTE: http://carros.uol.com.br/album/2015/02/27/saiba-como-e-quando-usar-as-diferentes-luzes-de-seu-carro.htm#fotoNav=2
Acesse www.delbras.net.br